O Uber e o velho ludismo contemporâneo

Segundo informações divulgadas pela Rádio Gaúcha, (13 de julho de 2016), um motorista do Uber foi agredido por taxistas na manhã desta quarta-feira no Aeroporto Internacional Salgado Filho de Porto Alegre. Seis pessoas estavam presentes na confusão. De acordo com as imagens do local, requisitadas pela Delegacia de Polícia Civil para Turistas, não é possível identificar quem começou o confronto, assim como da suposta utilização de arma branca denunciada por um dos motoristas do Uber. Desde a chegada do Uber – aplicativo móvel de transporte privado que oferece serviço semelhante ao táxi tradicional – discussões exacerbadas tomam conta das mesas de debate da opinião pública. A espessura do problema é tamanha que nos remete ao ludista do século XIX.

Uber-mobile_3306400b

Criado no século XIX, o ludismo foi um movimento conservador e opositor ao modernismo no meio industrial. Seu principal argumento era a mecanização do trabalho disposto pelo advento da Segunda Grande Revolução Industrial (1811). As reclamações contra o advento das máquinas e a sua substituição em relação à mão de obra humana era o principal debate do movimento. Formada, especialmente, por artesões o movimento exprimia o argumento que as máquinas usurpavam o espaço dos trabalhadores e tinha como pratica invadir industrias e destruir tais equipamentos.

Infelizmente, o mesmo e ultrarreacionário pensamento ludista continua presente na nossa sociedade contemporânea. O ludismo moderno exprime o argumento de que o novo vem para substituir os velhos e funcionais sistemas. Entretanto, cada vez mais a dita “nova economia” será informalizada. Como consequência, inevitávelmente, as relações de trabalho modificarão, a fim de se adaptar a esta nova realidade. Não há como evitar. É irracional pensar que alguém ainda queira nadar contra a maré (no velho jargão popular). A tecnologia está transformando o mundo e modernizando o velho capitalismo. Logo, a ciência vai modernizando e as pessoas vão se adaptando.

Esta é uma questão periódica, cítrica, o mundo vai se atualizando e determinados tipos de trabalho deixarão de existir. A datilografia é um exemplo disso. A evolução sempre visou facilitar, cada vez mais, a vida da sociedade e, queira ou não, o homem terá que se adaptar a isto. É sabido que o Uber se promove por meio da polemica, isto é fato. Entretanto, se opor à industrialização intensa ou a novas tecnologias, tendências, é manifestar os velhos e retrógrados pensamentos ludistas, mas de forma contemporânea.

Este é o tipo de debate que necessita acabar. Cabe ao poder público intervir para que não haja este tipo de conflito apressando-se, mesmo que de forma provisória, para acabar com esta quixotice ludista. Contudo, não observamos sensibilidade de tal parte minando e alimentando esta animosidade. Postergar o debate não resolverá nada. Enquanto isso, continuaremos presenciando este velho ludismo contemporâneo, até que ele próprio aceite se adaptar as novas formas de trabalho. A partir do momento que ele aceitar esta modernização, continuaremos presenciando conflitos desnecessários como o presenciado no Aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre.

Leonardo Patikowski,

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s